O Dízimo do Católico e a Incoerência Cristã - Santana Notícia

Últimas Notícias

sexta-feira

O Dízimo do Católico e a Incoerência Cristã

A Coluna ontem tomou conhecimento de fontes de credibilidade e respeitadas que alguns fiéis, certamente uma minoria vamos acreditar, que dizem praticar a religião Católica, Apostólica Romana, mas que ficam naquela de “Faça o que digo, mas não faça o que faço”. Não sei se propositadamente ou não. Estes cristãos caraubenses vão prestar contas com DEUS. Ah se vão.

Todos sabem que na próxima semana a obra de restauração e reconstrução parcial do Templo de DEUS que tem como padroeiro o guerreiro São Sebastião terão suas obras paralisadas por absoluta falta de recursos. Apesar de, pelo menos anunciada na mídia, ser uma mega campanha e que figurões da sociedade de Caraúbas e até empresários filhos de Caraúbas, alguns radicados aqui e outros em várias partes do Brasil terem aparecido e muito bem nos veículos de comunicação.

Mas acredito que este quadro crítico e vergonhoso para o catolicismo caraubense deverá ser revertido até a realização da festa máxima de Caraúbas que a Festa do Padroeiro São Sebastião, realizada de 10 a 20 de janeiro.

Mas o que eu quero fazer ciência aos caraubenses mesmo é a falta de compromisso também, de uma minoria, ainda bem, daqueles que se dizem católicos praticantes e devotados, como sejam Grupo de Encontro de Casais em Cristo (ECC) e integrantes do Grupo do Terço dos Homens, não são adeptos, não contribuem com o Dízimo, agora fazendo tanta falta não só para a reforma, restauração e recuperação da Igreja Matriz de São Sebastião, mas também para a manutenção da Paróquia que passa por dificuldades.

Pasmem os caraubenses de senso e de respeito à livre liberdade de expressão e de credo religioso.

O ECC e o Terço dos Homens, em nossa ótica, são duas excelentes formas de envolvimento religioso para os que são católicos apostólicos romanos e cumprimento dos preceitos da Religião Católica. Mas chegarem ao ponto, mesmo uma minoria, de não quererem contribuir com o dízimo, livre sem amarras. É uma Vergonha como diria o renomado jornalista e apresentador de Televisão.

Na religião evangélica, quem pratica o dízimo é com afinco e de forma espontânea, generosa e compensatória para a Igreja na qual ele congrega. Conversando com algumas fontes, a coluna soube de exemplo de evangélicos que praticam da seguinte forma: O chefe da família contribui para a Igreja na qual ele congrega cerca de R$ 1.700,00 (Hum mil e setecentos reais/ mês. A Sua esposa, lógico também evangélica, contribui com igual quantia para a Igreja em seu Dízimo.

Esta coluna resolveu encampar uma divulgação sistemática, em planejamento, para que este quadro dos cristãos caraubenses, dizimistas ou não, reflitam e quem sabe revertam de coração esta penúria por que passa a Igreja Católica de Caraúbas. E quem sabe possam mensalmente doar um pouco do que ganha à custa do suor do seu trabalho para a obra de Cristo aqui na terra. Enquanto estamos por aqui. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

test banner